fbpx

O BUDA – Sidarta Gautama (Mestre da Sabedoria e Espiritualidade)

BUDA-O-Ciclo-das-Respostas O BUDA - Sidarta Gautama (Mestre da Sabedoria e Espiritualidade)

O Buda – Sidarta Gautama

     O BUDA Sidarta nasceu no ano de 560 aC e era filho de um rei do povo Sakhya que habitava a região da fronteira entre a Índia e o Nepal. 
     Buda viveu durante o período áureo dos filósofos e um dos períodos espirituais mais incríveis da história; foi contemporâneo de Heráclito, Pitágoras, Zoroastro, Jain Mahavira e Lao-Tsé.

     O jovem Gautama viu 3 coisas que iriam mudar sua vida: um ancião que, encurvado, não conseguia andar e se apoiava num bastão, um homem que agonizava em terríveis dores devido a uma doença interna, um cadáver envolvido num sudário de linho branco.
  
    Essas 3 visões o puseram em contato com a  velhice, a doença e a morte, conhecidas como “as três marcas da impermanência”, e o deixaram profundamente abalado. Voltando para o palácio, ele teve a quarta visão: um Sadhu, um eremita errante cujo rosto irradiava paz profunda e dignidade, que impressionou Gautama a tal ponto que ele decidiu renunciar à sua vida de comodidade e dedicar o resto de sua vida à busca da verdade. 
     Abandonando o palácio, ele seguiu de início a senda do ascetismo, jejuando até que se convenceu da inutilidade destas práticas, e continuou sua busca. Durante 7 anos esteve estudando com os filósofos da região e continuava insatisfeito.
Por fim, em uma de suas viagens, chegou a Bodh Gaya, onde encontrou uma enorme figueira e tomou a resolução de não sair de lá até ter alcançado a iluminação.
Durante 49 dias ele permaneceu sentado à sobra da figueira, em profunda meditação, transcendendo todos os estágios da mente até atingir a Iluminação, um estado chamado nirvana. Desde então foi chamado de Buda (o que despertou) ou Shakyamuni (o sábio dos shakyas). 
     Seus ensinamentos nascidos dessas experiência são conhecidos como o Caminho do Meio, ou simplesmente o dharma (a lei). 
Do momento em que atingiu o nirvana, aos 35 anos de idade, até sua morte, aos 80, Buda viajou ininterruptamente por toda a Índia, ensinando e fundando comunidades monásticas.
     Buda ensinou o dharma a todos, sem distinção de sexo, idade ou casta social, em seu próprio idioma, um dialeto do nordeste da Índia, evitando o sânscrito empregado pelos hinduístas e eruditos, que era um símbolo de uma casta que não significava sabedoria, pois os brâmanes tinham cargos hereditários.
Costumava recomendar a seus discípulos que ensinassem em suas próprias línguas, de forma que a doutrina foi ficando conhecida em
vários países. 
     Suas últimas palavras foram:
 “A decadência é inerente a todas as coisas compostas. Vivei fazendo de vós mesmos a vossa ilha, convertendo-vos no vosso refúgio. Trabalhai com diligência para alcançar a vossa Iluminação”.
 
logo-estilo O BUDA - Sidarta Gautama (Mestre da Sabedoria e Espiritualidade)

 

 

AS QUATRO NOBRES VERDADES

 

Sofrimento

É a característica básica da nossa existência. Tudo é sofrimento: nascimento, doença e morte; encontrar algo não apreciado; não obter o que se deseja, separar-se de algo desejado.

Origem do sofrimento

Sua causa está nos anseios, nos desejos, no apego e na sede de satisfação dos sentidos. Tudo isso prende as pessoas ao ciclo da existência (samsara).

Cessação do sofrimento

Pela eliminação dos desejos e do apego pode-se extinguir o sofrimento.

Caminho que leva à cessação do sofrimento

Para os budistas da linha Theravada, o meio de pôr fim ao sofrimento é o Nobre Caminho Óctuplo. Para os budistas da linha Mahayana, são as Seis Perfeições.

O NOBRE CAMINHO ÓCTUPLO

1. Compreensão correta, baseada no entendimento das Quatro Nobres Verdades e na consciência de que não existe um “eu” individual: tudo está interligado.
2. Atitude correta, favorável à renúncia e à boa vontade, buscando não prejudicar os seres sensíveis.
3. Fala correta: evitar mentir, caluniar e bisbilhotar.
4. Ação correta: evitar, sobretudo, matar, roubar e praticar sexo ilícito (estupro e pedofilia, por exemplo).
5. Modo de vida correto: evitar profissões que causem sofrimento aos outros, como caçador ou fabricante de armas.
6. Esforço correto: pensar antes de agir, cultivando pensamentos, palavras e ações nobres.
7. Atenção correta: percepção contínua do corpo, dos sentimentos e dos objetos de pensamento.
8. Concentração correta: o cultivo de uma mente tranquila, que encontra seu ponto mais elevado na absorção meditativa.

AS SEIS PERFEIÇÕES

1. Generosidade
2. Paciência
3. Ética
4. Esforço entusiástico
5. Concentração
6. Sabedoria
logo-estilo O BUDA - Sidarta Gautama (Mestre da Sabedoria e Espiritualidade)

OUTROS CONCEITOS-CHAVE

Buda provavelmente falava num dialeto chamado maghadi e seus ensinamentos foram registrados na língua páli. Salvo exceções indicadas, os termos a seguir estão na forma como foram transliterados do sânscrito ou na maneira como foram incorporados à língua portuguesa.

Ahimsa

“Não-violência”. É a base ética do Budismo.

Anatman

“Não-eu”. Para o Budismo, não existe um “eu”: cada um de nós é uma soma de várias experiências de vida, em eterna mutação. Ignorar isso é a principal causa do sofrimento.

Arhat

“Santo”. Pessoa que atingiu a iluminação quase completa. O ideal do caminho Theravada.

Bhiksu

Monge mendicante que entrou para a vida errante.

Bodhisatva

Ser que aspira à condição de Buda pela prática das seis perfeições e que se compromete a abrir mão do nirvana até que tenha levado todos os seres sensíveis à iluminação. É o ideal do caminho Mahayana.

Carma

“Ação”. É a lei de causa e efeito que rege o universo. Não significa destino no sentido fatalista, mas sim o que recai sobre cada um como resultado do seu comportamento.

Darma

“Doutrina”. O termo Budismo é uma invenção ocidental para o que os budistas chamam de Buda-darma: ensinamento de Buda; lei cósmica; caminho para o nirvana.

Impermanência

Transitoriedade da matéria, do pensamento, do corpo humano e da própria idéia de “eu”. Como todas as coisas são impermanentes, nos escapam tão logo tentamos possuí-las. A frustração desse desejo de posse é a causa imediata do sofrimento.

Mahayana

“Grande veículo”. É um dos caminhos do Budismo. Inclui a maior parte das escolas existentes.

Lama (tibetano)

“Ninguém acima”. Significa guru, mestre espiritual.

Nirvana

“Extinção”, “apagamento”. É a meta da prática espiritual. Não deve ser entendida como aniquilação, mas sim como entrada em outra forma de existência. Psicologicamente, é um estado de grande liberdade e espontaneidade. “O nirvana nos ensina que já somos aquilo que queremos nos tornar”, diz o monge vietnamita Thich Nhat Hanh.

Samsara

“Roda do sofrimento”. Ciclo que rege a inquieta existência humana e se alimenta de apego, desejos, ódio e ilusão. É nele próprio que se deve procurar sua extinção – ou nirvana.

Sunyata

“Vazio”, “vácuo”. Conceito segundo o qual todas as coisas – incluindo você, leitor – não contêm essência, apenas aparência.

Tendrel (tibetano)

“Interdependência”. Tudo depende de outra coisa. Observador, observação e objeto observado são partes de um só movimento.

Theravada

“À maneira dos anciãos”. Uma das principais escolas do Budismo, é a mais tradicionalista.

Vajrayana

“Veículo do diamante”. Caminho tântrico e ocultista do Budismo.

Lindas  Estatuas Artesanais

Uma estátua de Buda é usada para ajudar a renovar a energia positiva da sua casa e trazer tranquilidade e serenidade para o seu entorno.

Uma estátua de Buda é também um lembrete de esperança e harmonia para todos os membros da sua família.

Clique na Imagem

slide-1550320523750-3065539769-035eb38de7d4869c9ebce916f0e8934c1550320526 O BUDA - Sidarta Gautama (Mestre da Sabedoria e Espiritualidade)



Reflita! A sua vida está do jeito que você quer?

Olhe a sua Volta!

Você é abundante? Feliz? tem ótimos relacionamentos? sem stress….Tudo está fluindo?

Se está, que maravilha, se não algo não está certo!

Tantas técnicas, orações e mente positiva, mas nada acontece! Você está fazendo certo? está Vibrando corretamente?

Está precisando de Respostas? Do que fazer para criar a realidade que tanto deseja, você é merecedora e porque ainda não tem?

 

Descubra! Quer saber como?

Mas para isso, o conhecimento é necessário, e o auxílio de uma bussola para adquirir a Sabedoria é fundamental, Mestres da Humanidade seguiram referencias e ferramentas ao longo da História.

📕 Por isso O Ciclo das Respostas foi desenvolvido… para ajudar pessoas como você a seguir a direção em seus sonhos… usando estas Leis poderosas para que cada um possa ter a vida que deseja.

😲 O Ciclo das Respostas, possui uma ferramenta única e exclusiva, que ajuda a canalizar sua força interior e direciona-la… com o auxílio destas leis para o caminho certo, o do sucesso e da realização… Te dará respostas para os seus maiores questionamentos, será a sua bússola para mudar a sua vida…

Veja quão poderoso é O Ciclo das Respostas 

😉 Clique aqui e Saiba mais!